terça-feira, 11 de maio de 2010

Eu trago comigo os estragos da noite

Gosto da noite quando quero pensar
Sento em um canto
E coloco a cabeça no lugar,
Mas a noite pode ser traiçoeira,
E quando eu saio do meu mundo
No qual entrei pra me situar
E está tudo escuro
Ninguém ao redor
Me sinto só,
E eu me contradigo
Não era isso que eu queria?
Mas solidão me assusta ao mesmo tempo que conforta,
Já sinto que ninguém se importa
E que não deram falta, não tem volta.

8 comentários:

Erica Ferro disse...

Quando o dia clarear, a volta se apresentará.

Beijo.

Marcos Aquino disse...

Post legal, profundo e que possibilita uma vasta reflexão. Beijos, segui e comentei, volto sempre.

Umrae disse...

O eterno paradoxo da solidão, tão ansiada e temida ao mesmo tempo...

Jeniffer Yara disse...

"Não era isso que eu queria?
Mas solidão me assusta ao mesmo tempo que conforta,
Já sinto que ninguém se importa
E que não deram falta, não tem volta.


Ahh você escreve textos que são tão iguais ao que eu penso!*-*

Bjs!

Rodolpho Padovani disse...

As vezes desejamos a solidão, mas qdo nos vemos rodeados por ela queremos ter alguém por perto... Eu particularmente adoro a noite e a madrugada, as vezes gosto de estar só comigo para poder pensar, mas fora isso adoro estar acompanhado =)

Gostei daqui, bjs...

Stéfano disse...

seus textos estão cada vez melhores Stellaaaaaaaaa
muito bonito esse.

tá com mais comentários e seguidoooores também né? \o/ demais

beijos

O Profeta disse...

Hoje ofereci as cores da minha paleta
A uma amiga na sua dor
Ouvi seu choro ao meu ouvido
No fatalismo do desamor

Hoje o sono acordou-me
A nostalgia agitou suas asas cinzentas
Esqueci no acordar o ultimo abraço
E contei as nuvens que eram tantas


Doce beijo

M.F. disse...

"Quando o dia clarear, a volta se apresentará."

Concordo, rs.
É que a noite é sozinha mesmo, talvez essa seja a beleza dela... mas também fico com a sensação de que, quando saio, o mundo foi embora e não voltou... :~

Tô seguindo, moça simpática ;*