sábado, 18 de junho de 2011

Os recados que eu não mando

Esse senhor destino
Que brinca comigo
Me deu distância, me deu vontade
Me deu tempo, mas me deu coragem

Esse senhor destino
Que brinca comigo
Por que deixa tão longe quem eu mais queria
Por que esconde o passar do dia
Agora o dia passa lento, quando precisava correr
E quando eu ter o que preciso
Vai passar tão rápido, que nem vou perceber

Esse senhor destino
Que brinca comigo
Me deu a noite pra fantasiar meu futuro
E a noite passa rápido
E me deu o dia pra perceber,
Que meu futuro tão longe está

Esse senhor destino
Que brinca comigo
Mas eu vou entrar na brincadeira, sem medo
Vou seguir em frente
E não vou desistir tão cedo

7 comentários:

Mariana Andrade. disse...

essa tua ultima estrofe... vamos dizer amém! haha

tava com saudades já, stella. não suma (;

Jéssica F. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jéssica F. disse...

Poisé, você sumiu. Mas bom, eu também sumi então tranqs. Mas MUITO obrigada pelo elogio, e se quiser eu colo aqui a parte que você gostou :) Eu só coloquei a proibição de copiar pq muitas pessoas estavam sendo plagiadas descaradamente. Enfim, sobre seu poema, lindo como sempre *-* suuper me identifiquei, o destino é mesmo de brincar, e o tempo então, nem se fala. Bjs :)

Jéssica F. disse...

Acho que é essa parte : Na verdade, o fazem pois a satisfação é mais que prêmios ou agradecimentos, é retribuição. Retribuição daquelas que a gente não compra em shoppings, tampouco em lojas de esquina, mas que a gente tira de si mesmo, do mais fundo do ser, algo insubstancial, sem massa, mas se colocado na balança do coração, seria tão ou mais pesado que chumbo, mas, cujo valor é, diferentemente incontável.
Bjs, ah e te segui no twitter :)

Paulo Vitor Cruz disse...

esse senhor destino acabou me afastando do seu blog e me trazendo de volta p pertinho dele p comentar justamente sobre ele mesmo.. (egocêntrico, não?)

*feliz semana p vc..

bitoquinha.

Jéssica S. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jéssica S. disse...

Bom texto! O chamado destino, às vezes, não é mesmo como queremos. E sempre nos fazemos perguntas que tais respostas só vem com o tempo. Oh! É a vida!

Estou te seguindo!