sexta-feira, 1 de junho de 2012

Soneto em canção pra um poeta em criação


Se é amor, as vezes faz sofrer
Mas se essa dor, quem sabe talvez,
Esse amor de mim um poeta fez.
E de você também pode fazer

E as lágrimas que podem ser derramadas
Quem sabe se transformem em versos.
Amorosos ou perversos, que façam com que o universo
Saiba quem é você, e que o que você sente

Já que o poeta é um ser tão somente
Que pode deixar de ser
Liberando sua alma, calma em pequenas estrofes
Deixando seu subconsciente transparecer

Liberando suas dores em pequenas linhas, com rima
Transformando sua dor em uma obra-prima.

9 comentários:

Mariana Andrade disse...

"Já que o poeta é um ser tão somente
Que pode deixar de ser"

achei essa frase perfeita.
por sinal, stella, esse não é o que mais me comoveu, mas um dos que mais mostrou a qualidade da tua escrita (: muito bom.

beijos.

Bruna Gabriela disse...

Poeta sofredor, mas bom "escrevedor"

Amei o texto.
Lindo demais.

Kamila Behling disse...

Que lindo tão lindo!

Lindo final de semana também e, fiques com DEUS.

Flá Costa * disse...

Stellinha querida, eu vivo dizendo blogosfera afora que sou fã de poesia, mas incapaz de fazer uma bem feita. enfim... poesia pra ser boa tem que ser bem feita. assim como a sua agora, que veio do coração...


beijoca

Gabriela Freitas disse...

Seus poemas são bons demais Stella, parabéns.

Paulo Vitor Cruz disse...

curti a reformada dada à estrutura do soneto... sempre quis ter coragem p isso, mas nunca consegui.

*pareço um maniaco/tarado se disser q tenho saudades de vc? saudades de ler-te

abração.

Por que você faz poema? disse...

A dor é a minha obra prima,
o resto é nota de rodapé.

Letícia Giraldelli disse...

Aulas de como explicar direitinho o sentido de ser poeta você tem aqui com a: STELLA RODRIGUES. Ligue 0800.... Meu, que lindo o seu poema! Você conseguiu dizer se forma simples uma palavra que nem a semiótica explicaria tão ao certo!

E ah, aquele meu último texto.. Os sentimentos, a indecisão era verídica, mas... É óbvio que eu tive que dar uma enfeitada... rs!

beijos, linda!

Fanzine Episódio Cultural disse...

“CAMINHOS SEM VOLTA”


Fernando Ferreira Chagas iniciou-se nos caminhos da música quando ouviu seus amigos tocando sucessos do Legião Urbana, Cazuza, Planet Hemp e Mamonas Assassinas numa festa junina organizada pelo Unicol. Fernando “sentiu-se” no palco ao lado deles. Comprou seu primeiro baixo em 2004 e, juntamente com outros colegas formou a banda Kamikaze.
Com o fim da banda em 2005, Fernando, Lucas e Vinícius formaram a BK-9 com a qual gravaram sua primeira música intitulada “Caminhos sem Volta”, executada com muita freqüência na rádio local. A BK-9 participou de três festivais: CESEC FAMA I, CESEC IN CONCERT e FESTIVAL DA UNIS (Varginha).
Ele também fez parte da Corporação Musical União de Machado e da Banda Marcial. No mesmo ano, ao lado dos amigos Sandro e Félix, montou a Banda Brasil Música. Por indicação, Fernando tocou durante quatro anos no Ronny & Marcus e Banda.
Formado no Conservatório Musical Juscelino Kubitschek de Pouso Alegre, Fernando traz em sua bagagem grandes momentos e participações com outros profissionais: Orlando dias & Valdinei; Vicente e Mateus; Quebra-Queixo; Reberson e Ronan; Código Onze; Vicente e Vitória; Tom e Thiago (com os quais gravará um DVD); Douglas e Samir; Pedro Lucas e Gustavo; Diego e Elias; e banda Restaurus.
Entre seus ídolos destacamos: Jack Pastorius, Arthur Meyer, Nico Assumpção, Celso Pixinga, PJ do J.Quest, Guilherme Cordeiro (seu professor); Ron Carter, Miles Davis, Victor Holten, Djavan, Tom Jobim, Cartola, Led Zeppelin, Creedence, Beatles, Pitty, Elis Regina e Maria Cadu.

Contato: fernando.f.chagas@hotmail.com