quarta-feira, 27 de julho de 2011

Chame do jeito que você quiser: Medo, coragem ou amor.

Procuro um cheiro agradável,
Talvez um perfume suave
Ou o simples cheiro natural da sua pele
Procuro o toque delicado no me rosto
E o brilho sincero do olhar
Procuro a segurança das mãos dadas
E o mistério do próximo ato ao silêncio constrangedor
Procuro logo meu futuro, 
E alguém por perto pra chamar de amor...




Aos poucos presentes: 

Obs: Estamos em um momento onde falta os pequenos poetas. Agora, cada mente brilhante toma um rumo diferente. Os blogs já não são mais tão atualizados com antigamente. Pessoas preocupadas com trabalho, sem tempo nem vontade de escrever, sinto falta dos meus pequenos grandes poetas, que embora desconhecidos por muitos tem a admiração de todos.

9 comentários:

Paulo Vitor Cruz disse...

Eu chamo de amor.

*qto aos outros pequenos grandes poetas, também sinto falta deles. que tal criarmos um movimento do tipo "Volta Pequeno-Grande-Poeta"

bitoquinha.

Letícia Giraldelli disse...

Eu também chamo de amor!!
Pois é, antigamente todo mundo atualizava bem mais os blogs, inclusive eu... Com o trabalho acaba tudo ficando mais corrido! Por isso eu escrevo lá, chego em casa correndo da pra postar, responder os comentários e etc. Porque não tenho tempo de ficar sentada no computador não :~

beijos guria!

Mariana Andrade. disse...

o amor mistura os dois primeiros, querida. mas é exatamente por ter o outro do lado que a gente consegue manter o equilibrio.
ficou muito bonito esse, stella. e também sinto falta dos tempos antigos de blog.. o tempo acaba sufocando todo mundo.. mas que esses "pequenos-grandes-poetas" dêem o ar de sua graça de vez em quando, ainda.

bjs

Jéssica F. disse...

Também sinto falta disso, antigamente se postava várias vezes ao dia. Hoje, é praticamente raro. Eu sinto falta de escrever, me sinto tão vazia quando as palavras não vêm, quando o tempo é curto... Sobre o post, todos procuramos isso, né? Bjs

Luria Corrêa . disse...

Na maioria dos meus casos, o que falta é coragem. Talvez de segui em frente, ou de deixar o passado para trás. Mas é amor.

Diariamente me pego a sentir saudade de quando os blogs não visavam tanto aparência e seguidores, e o que a gente fazia era se expressar como queria. Trágico isso, tô na causa junto contigo e com o Paulo Vitor, que tudo isso volte.

Grande abraço.

Be Fontana disse...

Amei o blog, simplesmente sensacional *-*
Continue assim, visitarei sempre.
Uma boa semana, te sigo.
Kisses&Kisses
Be Fontana*

Renato Ziggy disse...

Amar é tão bom. E é bom tb ler quem escreve sobre esse amor que faz bem e nos faz sentir completos... teus versos têm mto do que idealizo! hehehe!

E concordo quanto aos blogs... quanta coisa bela já li, qtas amizades fiz na bloggosfera, que não tem mais a força de antes. Mas ainda assim te mta coisa boa por aqui... hehe! bjos

Renato Ziggy disse...

adorei sua visita! sinta-se à vontade pra voltar quando quiser... beijo!

Fernanda disse...

Sempre, será o amor! Pois o amor envolve o medo e a coragem, mas será sempre chamado de amor!