domingo, 4 de abril de 2010

Inversões

Inspirada nas inspirações alheias
Me deixo refletir
Copio, imito, converto
Inverto, mas no fim
É um acerto
Que não da pra previnir
São versos, versões
Inversões, sobre um mesmo tema
Espero não ser um problema
Eu querer o que eu gostar
Querer parecer,
Querer imitar
Querer deixar algo perfeito
Buscando acerto
Pelos acertos dos outros
Esse ato pode ser chato
Mas se chama reflexo exato

5 comentários:

Bê Matos disse...

Já dizia Lavoisier: "(...) Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma"

:)

M.F. disse...

Concordo com o comentário aqui em cima... é bom se inspirar nos outros :) só então dá pra gente criar o próprio jeito de fazer as coisas, eu acho. Beijos!

Mariana Andrade. disse...

comentário da bê foi muito bem feito, de fato.
e, principalmente quando se trata de erros, creio que aquilo tudo de aprender com os nossos erros pode ser evitado simplesmente observando no que as outras pessoas erraram e adotando comportamento diferente para si.
inspirar-se nos outros, tanto nas coisas boas, quanto no desejo de lutar contra as coisas ruins.
grande beijo.

Rodriguez disse...

Você é o novo reforço para para o Reticencio-me, SEJA BEM VINDA!

ABRAÇOS!

http://cacofagia.blogspot.com/

Silent disse...

Nossa, é dificil expressar o fasnicio exato que me causou este poema; e talvez uma certa incomodaçao, pois em grande parte sou, e parte grande da humanidade é, copia de outrem, tanto nos pensamentos, palavras e atitudes.Mas apesar de tantos plagios, pastiches e imitaçoes, sempre seremos unicos. E deixo uma pergunta incomoda: Há realmente um reflexo exato de algo racional?